• Sábado, 25 de Junho de 2022
  1. Home
  2. Política
  3. Quase 200 prefeitos dizem estar com Moisés

Política

Quase 200 prefeitos dizem estar com Moisés

Fato sem precedentes na história política de Santa Catarina, cerca de 200 prefeitos já se declararam, abertamente, simpáticos e apoiadores do projeto de reeleição do governador Carlos Moisés da Silva (Rep). Somente nos últimos dias, foram 46 do Progressistas, 82 do MDB e 22 do PSDB a endossarem um novo mandato para o governador. Afora estas três legendas, o governador também tem recebido apoios vindos de prefeitos de legendas que lhe têm feito franca oposição, como é o caso do PSD, PSB e União Brasil, além de outros distintos partidos.

O último encontro do governador com um grupo de prefeitos aconteceu na quarta-feira, com aqueles que são filiados ao PSDB. Em nossa região, o prefeito de Balneário Gaivota, Kekinha dos Santos, e o de Santa Rosa do Sul, Almides da Rosa, são ligados à legenda. Ambos já disseram que estarão na campanha de Carlos Moisés, independentemente do caminho oficial a ser tomado pelos tucanos. Já no MDB de nossa região há aqueles prefeitos que estão francamente com Carlos Moisés, e aqueles que estão, por enquanto, observando os desdobramentos dos fatos, o que também é uma realidade no Progressistas. No MDB, o que se observa nitidamente é que caso Antídio Lunelli concorra de fato ao governo, os prefeitos e líderes políticos ligados ao ex-deputado federal Ronaldo Benedet (MDB) estarão com ele, e os demais com Carlos Moisés. Já no Progressistas há uma tendência natural dos prefeitos e líderes do partido acompanharem as diretrizes do deputado estadual José Milton Scheffer, que é o atual líder do governo na Assembleia Legislativa. De forma natural, isto colocaria o Progressista na campanha de Carlos Moisés, todavia, Zé Milton ressalta que acatará qualquer determinação maior vinda do Progressista, mesmo que esta seja o rompimento com o atual governador.

No MDB o grupo de Antídio já começa a admitir que metade dos prefeitos deverão ficar com Carlos Moisés, mesmo com a legenda tendo candidatura própria. No Sul do Estado é onde o MDB está mais ligado ao governador, por conta da forte influência de líderes como o ex-governador Eduardo Moreira e os deputados estaduais Luiz Fernando Vampiro e Ada de Luca.

Para o governador, ter o Progressistas consigo no primeiro turno, de forma oficial, é fundamental. Isto evita o crescimento da candidatura de Jorginho Mello, numa dobradinha PL/PP, como também a completa solidificação do projeto de Gean Loureiro, através de uma tríplice aliança União/PP/PSD. Evitaria também o lançamento de uma candidatura própria de Esperidião Amin ao governo. Em todos estes cenários, no segundo turno, o Progressistas estaria contra o governador, desequilibrando francamente a balança eleitoral nas alianças vindouras.

PTB quer lançar candidatos a estadual e a federal por nossa região

Presidente estadual do PTB, Kennedy Nunes, que é deputado estadual e pré-candidato ao senado, se reuniu com correligionários ontem em alguns municípios de nossa região, e, pontualmente, à noite, em Araranguá. Na ocasião, endossou os projetos proporcionais do partido aqui no Extremo Sul. Em princípio, o PTB deverá lançar João Cechinel, de Araranguá, como candidato a deputado estadual, e Jeferson Cardoso, de Turvo, como candidato a deputado federal. Em relação à disputa majoritária, o PTB ainda está buscando seu enquadramento. Um projeto que vinha sendo alinhavado com o PL do senador Jorginho Mello não foi levado adiante, e há, neste momento, tratativas com o Progressistas. Kennedy também não descarta uma aliança com o União Brasil e PSD, “através de conversas que vêm acontecendo com o prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD)”. O PTB também tem a disposição o nome do ex-vice-prefeito de Corupá, no Norte do Estado, Carlos Werner, que pode ser lançado ao Governo do Estado.

Gean Loureiro diz que PP, MDB e PSDB estão na linha de negociações

União Brasil promoveu encontro robusto, ontem à noite, em Sombrio, como parte da estratégia para divulgar a pré-candidatura do ex-prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, ao Governo do Estado. Legenda já está aliada ao PSD e de olho numa aliança com o Progressistas, com o MDB, ou com o PSDB, que podem ser convidados para concorrer como vice de Gean. O PTB também é cotado para o leque de alianças, mas o fato do ex-governador Raimundo Colombo (PSD) e do presidente estadual do PTB, Kennedy Nunes, pretenderem disputar o Senado Federal, pode ser um fator obstrutor da aliança. De acordo com o próprio Gean Loureiro, articuladores de seu grupo têm conversado com lideranças do Progressistas, do MDB e do PSDB, na tentativa de trazer um dos três para a majoritária. Conforme ele, as negociações neste sentido estão adiantadas. No que diz respeito às chapas proporcionais, o União Brasil, do Sul do Estado, está fechado com o projeto do ex-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo, de chegar à Assembleia Legislativa, e, em princípio, com o projeto do vice-prefeito de Tubarão, Caio Tokarski, de chegar à Câmara Federal. Em nossa região, a coordenação dos trabalhos do União Brasil neste ano eleitoral ficará a cargo do empresário sombriense Teco Silvério, que comanda o partido na Amesc.

Termina hoje prazo para pagamento da taxa de inscrição do Enem 2022 Próximo

Termina hoje prazo para pagamento da taxa de inscrição do Enem 2022

Nacional: preço do diesel nos postos quase dobra nos últimos três anos Anterior

Nacional: preço do diesel nos postos quase dobra nos últimos três anos

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.