• Quinta-feira, 29 de Outubro de 2020
  1. Home
  2. Imprensa livre
  3. A Escalada Golpista de 2020

Imprensa livre

A Escalada Golpista de 2020

 

No dia de ontem (domingo, 19 de abril de 2020), o Brasil assistiu à maior manifestação antidemocrática de um Presidente da República desde os tempos sombrios da ditadura militar. Jair Bolsonaro, em frente ao quartel do Exército Militar em Brasília, reuniu milhares de manifestantes em meio à maior pandemia da história moderna, para dar a linha golpista de seu projeto de poder. No ato, os manifestantes entoaram gritos e faixas à volta do Ato Institucional nº5 (AI-5), o decreto mais perverso e repressor de toda a ditadura militar, pediram intervenção militar e o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal. Bolsonaro aproveitou o momento para atacar os representantes da Câmara Federal e do Senado Federal, bem como também atacar o STF.

Não existe mais nenhuma dúvida de que a linha do Presidente da República é a linha do golpe, não se sabe ainda se ele tem força para aplica-lo ou se tem instrumentos para aplica-lo, uma vez que todas as lideranças das instituições democráticas e republicanas se manifestaram imediatamente e de maneira clara contra as palavras do Presidente, entre elas, o Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado Federal, Ministros do STF, Presidente da OAB, o próprio Exército através de alguns comandantes e mais de 20 governadores dos Estados da Federação, que escreveram uma carta em apoio aos representantes do legislativo e contra a fala de Bolsonaro, entre eles, o Governador de Santa Catarina, Carlos Moisés.

Parece loucura pensar que em meio à maior crise sanitária da história do nosso país, todas nossas preocupações seriam somadas à defesa da democracia brasileira. A Constituição Brasileira de 1988 deveria ser o documento que aniquilasse qualquer faísca autoritária e antidemocrática, porém, apenas 32 anos depois de sua promulgação é possível observar seu completo desrespeito e aviltamento pela liderança máxima do executivo brasileiro. 

Como disse Ulysses Guimarães, Presidente da Assembleia Nacional Constituinte, em seu discurso no momento da promulgação de nossa Constituição, onde afirmou que nossa constituição não é perfeita, podemos sim discordar dela, porém jamais podemos descumpri-la, jamais podemos enfrenta-la, quem o faz, é traidor da Constituição, e quem é traidor da Constituição, é traidor da Pátria.

Autoridades, notas públicas, tweets e entrevistas em jornais não irão segurar a defesa da democracia brasileira. Precisamos de ação, nossa liberdade está à beira do abismo.

 

Justiça implanta videoconferência em audiência Próximo

Justiça implanta videoconferência em audiência

Caixa já creditou R$ 16,3 bi para pagamento de auxílio emergencial Anterior

Caixa já creditou R$ 16,3 bi para pagamento de auxílio emergencial

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.