• Segunda-feira, 16 de Maio de 2022
  1. Home
  2. Geral
  3. ‘Foi técnica’, diz especialista sobre pouso forçado de helicóptero em praia de Florianópolis

Geral

‘Foi técnica’, diz especialista sobre pouso forçado de helicóptero em praia de Florianópolis

Piloto teve poucos segundos para realizar manobras que garantissem segurança de passageiros e banhistas.

O local do pouso forçado do helicóptero que ocorreu nesta quarta-feira (19) na praia de Canasvieiras, em Florianópolis, foi estratégico, avalia o comandante da Guarda Municipal e piloto Valci Brasil. “Não foi sorte, foi técnica.”

Em poucos segundos, o condutor da aeronave da Icaraí Taxi Aéreo, empresa responsável pelo serviço, escolheu um lugar longe dos banhistas e de fácil resgate, analisa Brasil.

Por volta das 17h, o piloto, de 39 anos, e um casal, ambos com 55 anos – foram resgatadas pelos banhistas, que formaram uma corrente humana para protegê-los.

Segundo a empresa, o piloto relatou que ocorreu uma pane no motor. O caso assustou turistas e moderadores que estavam à beira-mar no Norte da Ilha e repercutiu nacionalmente.

“Quando o helicóptero fez o pouso forçado ele tombou de cabeça para baixo. Os banhistas foram para água para revirar a aeronave e eles quebraram a porta para poder retirar as três pessoas”, diz Brasil.

Queda de aeronave, na água,  próxima à faixa de areia deixou três pessoas feridas – Foto: Leo Munhoz/ND

A execução do pouso chamou a atenção. “Assim que ele sentiu a pane teve pouquíssimos segundos para pensar no que fazer. Conseguiu executar uma manobra de alta rotação, que o helicóptero continua voando mesmo estando com o motor desligado, tamanha a destreza do piloto”, destaca.

Conforme sua análise, pelas imagens é possível ver que ele executou a outra manobra enquanto caía na água, chamada flare, na qual ele encosta o “cone” do helicóptero na água e depois a “barriga”, para conseguir diminuir a velocidade e realizar um pouso mais seguro.

“Ele pensou nisso tudo em poucas frações de segundo. Fica os meus parabéns ao comandante”, ressalta Brasil.

Todos os ocupantes do veículo sofreram ferimentos leves. A mulher teve um corte no rosto e na perna, o homem na perna. O casal é natural de Sapucaia do Sul (RS). O piloto, que se feriu na região do rosto e do estômago, não teve a naturalidade revelada.

Possíveis causas

Há vários tipos de pane que podem acontecer às aeronaves. Conforme o especialista, é importante destacar que na aviação existem três pontos fundamentais: o homem, o meio e a máquina. Ao analisar esses fatores, se chega à causa do problema.

Ele afirma que o piloto precisa estar extremamente focado no voo e garante que conhece o comandante da aeronave: “é altamente técnico, capacitado e experiente. Tem mais de 1.500 horas de voo, com certeza”, diz.

Segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a aeronave estava com manutenção e documentação regulares. Dessa forma, pode-se avaliar as condições meteorológicas.

Local da queda foi limpo totalmente após a meia-noite desta quinta-feira (20) – Foto: Alexandre Gonçalves/NDTV
 

“Ainda precisamos aguardar a investigação da aeronáutica. Mas no caso de ontem estava muito, muito quente. E quanto mais quente está o dia, menos densidade o ar tem, o que pode fazer com que a aeronave perca sustentação. Pode ser que tenha acontecido isso”, opina o piloto.

A Força Aérea Brasileira, por meio do Sipaer (Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), investigará as causas do acidente. O helicóptero foi retirado da praia pouco depois da meia-noite desta quinta-feira (20).

Fonte: ND Mais 

 
Arqueólogo encontra moeda avaliada em mais de R$ 1,5 milhão: será que você tem uma em casa? Próximo

Arqueólogo encontra moeda avaliada em mais de R$ 1,5 milhão: será que você tem uma em casa?

Conscientize-se! Descarte irregular de resíduos pode sobrecarregar a rede Anterior

Conscientize-se! Descarte irregular de resíduos pode sobrecarregar a rede

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.