• Domingo, 29 de Março de 2020
  1. Home
  2. Imprensa livre
  3. Moradores exigem manutenção do decreto que proíbe transporte pesado em rodovias municipais

Imprensa livre

Moradores exigem manutenção do decreto que proíbe transporte pesado em rodovias municipais

Os moradores das localidades Encruzo do Barro Vermelho e Espigão da Toca, além de comunidades vizinhas, diretamente impactados pelo transporte feito por caminhões com alta tonelagem, não concordam nem com a suspensão temporária do Decreto 106/2019, baixado pelo prefeito Arlindo Rocha. No máximo, eles concordam em negociar medidas que possam permitir a convivência entre qualidade de vida e manutenção das atividades econômicas.

A posição foi tomada em assembleia realizada na noite de quinta-feira (20), no salão comunitário de Espigão da Toca, onde compareceram também moradores do Encruzo do Barro Vermelho e de outras comunidades como Espigão Grande e Mato Feio, em Maracajá e Espigão da Pedra, em Araranguá. Mobilizados pelas mídias sociais, os moradores após debates, mediados pelo prefeito Arlindo Rocha, chegaram a três propostas que foram a votação.

Por unanimidade os moradores descartaram qualquer possibilidade de atender requerimento do prefeito de Araranguá, Mariano Mazzuco, enviado por ofício ao prefeito Arlindo Rocha, para suspender os efeitos do decreto 106/2019 por 60 dias, período em que se negociaria uma  alternativa à situação. As outras duas propostas, calcadas na manutenção do decreto, tinham apenas uma diferença: negociar, ou não, possíveis alternativas.

A maioria representada por 49 votos considerou possível negociar possibilidades, mantendo em vigor  todos os efeitos do decreto 106. Manter o decreto sem qualquer tipo de concessão ou negociação foi a posição defendida por 29 pessoas presentes ao encontro. Em torno de uma dezena de participantes não votaram em nenhumas das propostas, mas garantindo apoio à proposta vencedora.

No encontro foi eleita uma comissão com 11 integrantes, sendo sete moradores das duas localidades, prefeito Arlindo Rocha, e os vereadores Prezalino Ramos, Fabrício de Oliveira e Volnei Rocha, que participaram da assembleia e hipotecaram apoio à causa das famílias diretamente impactadas. Moradores de localidades vizinhas, disseram estar contando dias e horas para tomar medidas extremas, pois  é por onde caminhões são desviados para ludibriar a fiscalização. Conflitos não estão descartados.

Fonte: Gilvan de França | Prefeitura de Maracajá/SC

 

Cinco décadas transformando realidades ao compartilhar conhecimentos Anterior

Cinco décadas transformando realidades ao compartilhar conhecimentos

Cejusc da comarca de Criciúma obtém êxito em mais de 70% das mediações familiares Próximo

Cejusc da comarca de Criciúma obtém êxito em mais de 70% das mediações familiares

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.