• Quinta-feira, 29 de Outubro de 2020
  1. Home
  2. Imprensa livre
  3. Priorizar a saúde ou a economia? E quem disse que precisamos escolher?

Imprensa livre

Priorizar a saúde ou a economia? E quem disse que precisamos escolher?

As casas brasileiras estão imersas e divididas hoje no novo tema gerador de polarização no Brasil, a escolha entre encerrar ou não a quarentena diante da crise sanitária da COVID-19. É incrível a capacidade do brasileiro em tornar qualquer assunto um motivo para um verdadeiro “fla-flu”, onde ninguém enxerga o razoável e o meio termo, todos são empurrados para uma discussão miúda e completamente superficial, onde se você se preocupa com a economia do país automaticamente se torna um fascista, e se você se preocupa com a saúde já é taxado de comunista ou petista. Como quase tudo que é motivo de discussão no país, o razoável nunca é um extremo ou outro, mas sim o seu respectivo equilíbrio, ou melhor, como diria o filósofo grego Aristóteles, “a virtude está no meio”. 

Devemos encerrar essa polarização tão ilógica e irracional que divide o país no momento onde deveríamos estar mais unidos, entendendo que não se trata mais de defender ou condenar o político de nossa preferência ou de nosso desprezo, se trata de tomar as melhores decisões possíveis embasadas em profissionais capacitados e competentes com o único e claro objetivo de SALVAR VIDAS, seja protegendo-as do vírus ou da fome. Não é hora de retomar o debate das eleições de 2018 ou antecipar o debate das eleições de 2022, é momento de entender que políticos devem apenas ouvir os profissionais capacitados e aplicar suas determinações, como as imensas maiorias das demais nações estão fazendo. 

O consenso do mundo inteiro, embasado e endossado pela Organização Mundial da Saúde, é a orientação de que se deve intensificar o isolamento social através da quarentena, fechando comércios e serviços não essenciais. É isso que está acontecendo no mundo todo, aqueles que se atrasaram em aplicar tal orientação acabaram se arrependendo e voltando atrás, com imenso prejuízo de vidas perdidas na metade do caminho. É óbvio que um país parado sofre consequências econômicas drásticas, e como falado anteriormente, o mundo inteiro está passando por isso e todos os países terão recessão econômica, é por isso que todos os governos estão fazendo um esforço na direção de garantir um programa de renda mínima aos trabalhadores que não possuem emprego e renda fixa, com o claro objetivo de ficarem em casa praticando o isolamento social. O Brasil também adotou a mesma medida, momento em que tal debate deveria ser vencido e todos deveriam entender que é momento de se isolar, porém ainda vemos discussões onde se avilta a gravidade da doença, inclusive duvidando de sua existência.

Não cabe a mim fazer uma avaliação de saúde ou emitir uma opinião sobre o assunto em que não sou especialista, é momento de todos que não são capacitados entenderem que existem pessoas que estudaram anos para poder tomar decisões no momento, vamos deixar as decisões para eles e confiar. Como observador do mundo político, só devo concluir que o Brasil sofre e muito do mal da polarização, pensava que em um momento como esse, todos estaríamos unidos em torno de uma causa que decide sobre nossa vida ou nossa morte, porém, até nessas situações temos dificuldade em encontrar o que nos une, em detrimento de continuar prestando sempre atenção no que nos divide.

Portaria estabelece regras para hotéis, restaurantes e comércio de rua Próximo

Portaria estabelece regras para hotéis, restaurantes e comércio de rua

TRE-SC implanta atendimento online para cadastro de eleitores Anterior

TRE-SC implanta atendimento online para cadastro de eleitores

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.