• Sexta-feira, 22 de Janeiro de 2021
  1. Home
  2. Política
  3. MDB de Sombrio teve mais sorte que juízo

Política

MDB de Sombrio teve mais sorte que juízo

MDB de Sombrio teve mais sorte que juízo no pleito eleitoral deste ano. Depois da operação da Polícia Federal na Prefeitura Municipal, que teve como foco a investigação de supostos desvios de recursos, no que diz respeito ao combate a Covid-19, receio era que boa parte dos eleitores do partido acabassem migrando para a candidatura de Cristian Rosa (PP), o que colocaria em risco eminente o projeto de eleição de Gislaine Cunha (MDB). Todavia, isto aconteceu apenas em parte. Pesquisas de consumo interno mostraram que a grande maioria daqueles que deixaram de votar em Gislaine, depois da operação da PF, acabaram migrando para a candidatura de Clodoaldo Patrício (PRTB). Na prática, aos olhos do eleitor, naquele momento, se o MDB não era confiável, o PP também não o era.

Maioria dos ex-prefeitos não se deram bem 

Absoluta maioria dos ex-prefeitos que disputaram as eleições majoritárias deste ano, em nossa região, acabaram não se dando bem nas urnas. Em Maracajá, ex-prefeito Wagner da Rosa (MDB) perdeu a disputa pela prefeitura para Garibaldi Brambilla (PSD). Em Ermo, o ex-prefeito Marcos Leone de Oliveira, o Marquinhos (PSDB), perdeu a disputa para Paulo Della Vechia (MDB). Em Meleiro, o ex-prefeito Vitor Hugo Coral (PP) ficou na terceira colocação, em uma disputa vencida pelo atual prefeito Eder Mattos (PL), que deve como segundo colocado o atual vice-prefeito Rogildo Bordignon (PSDB). Em Passo de Torres, o ex-prefeito Áureo André Henrique (MDB), que concorreu como candidato a vice do prefeito de Jonas Torres (MDB), também acabou sendo derrotado, por conta da vitória da oposição, comandada por Valmir Rodrigues (PP). Em Santa Rosa do Sul o ex-prefeito Nelmo Emerim (PP), que atualmente é vice, a exemplo de Vitor Hugo, também ficou na terceira colocação da disputa pela prefeitura, atrás do prefeito eleito Almides da Rosa (PSDB), e do segundo colocado, Dora Oliveira (PSD). Por fim, em Turvo, o ex-prefeito Heriberto Schmidt (MDB), que concorreu como vice de Pisca Dagostin (MDB), também perdeu a eleição para Sandro Cirimbelli (PP).   

As exceções ficaram por conta de dois casos pontuais. Evandro Scaini (PSL), ex-prefeito duas vezes de Balneário Arroio do Silva, foi eleito novamente para comandar o executivo, e, em Morro Grande, através de uma candidata única, ex-prefeito Clélio Daniel Olivo, o Kéio, foi eleito para mais um mandato junto ao comando do executivo. 

O fato de quase 80% dos ex-prefeitos terem sido frustrados pelas urnas tem fácil explicação. É que a onda de renovação na política brasileira continua, e continua forte. É muito provável que a partir de 2024 esta onda comece a atingir projetos de reeleição, com prefeitos que irão tentar um segundo mandato tendo muita dificuldade para continuar no poder.  

 

Almides e Kekinha prometem contenção de despesas 

Prefeito eleito de Santa Rosa do Sul, Almides da Rosa (PSDB), diz que vai assumir executivo “com a máquina pública extremamente enxuta”. De acordo com ele, os primeiros meses de sua gestão serão marcados por uma economia de guerra, por conta da evidente queda de receita dos executivos, motivada, em grande parte, pela recessão causada pela pandemia de Covid-19. O futuro prefeito não descarta a possibilidade de que ele próprio venha a gerir algumas secretarias municipais, economizando, com isto, despesas salariais, e também de custeio. Em Balneário Gaivota, futuro prefeito Kekinha dos Santos (PSDB) não descarta a aplicação das mesmas medidas de contenção, até tomar pé da real situação da prefeitura.  

 

Vereadores de Sombrio serão redefinidos nesta semeana 

Justiça Eleitoral da Comarca de Sombrio irá validar, nesta semana, os votos conquistados pelos candidatos a vereador Janguinha Duarte, Nego Gomes, Carlinhos Gomes e Sí Baltazar, todos do MDB. As candidaturas dos quatro haviam sido indeferidas, em primeira instância, por conta de um processo eleitoral oriundo da eleição de 2016. O TRE, no entanto, acabou liberando as candidaturas, e os votos impugnados serão contabilizados para a legenda do MDB. Nenhum dos quatro foi eleito, mas suas votações servirá para que o ex-vereador Dimi Cardoso (MDB) volte ao legislativo. Por outro lado, quem perderá a vaga virtualmente conquistada é Jucimar Custódio, o Bujão (PSDB). Com a ascensão de Dimi, a futura prefeita Gislaine Cunha (MDB) passará a ter seis, dos onze votos no legislativo. 

 

Apenas dois prefeitos eleitos não disputaram eleições  

Em que pese toda onda de renovação da política, em nossa região apenas dois prefeitos eleitos nunca haviam disputado qualquer tipo de eleição: Fanica Machado (PP), em Praia Grande, e Paulo Della Vechia (MDB), em Ermo. Todos os demais eleitos já ocuparam cargos eletivos, ou, no mínimo, disputaram eleições no passado. Do outro lado da moeda, os mais tarimbados são os prefeitos eleitos de Balneário Arroio do Silva, Evandro Scaini (PSL), e de Morro Grande, Clélio Daniel Olivo, o Kéio (PP), que assumirão pela terceira vez o comando dos executivos de seus municípios. Há também casos pontuais, como o prefeito reeleito de São João do Sul, Moacir Teixeira (MDB), que já foi vice, e também vereador.

Emoção, diversão e solidariedade! Próximo

Emoção, diversão e solidariedade!

Vereador eleito Luan Bristot capota carro, mas passa bem Anterior

Vereador eleito Luan Bristot capota carro, mas passa bem

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.