• Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022
  1. Home
  2. Política
  3. Bolsonaro liga para irmãos de petista morto e os convida a Brasília para ‘falarem a verdade’

Política

Bolsonaro liga para irmãos de petista morto e os convida a Brasília para ‘falarem a verdade’

Presidente entrou em contato nesta terça (12) com Luiz e José Arruda, irmãos de Marcelo Arruda, tesoureiro do PT assassinado em Foz do Iguaçu, no sábado (9), por um policial apoiador de Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro entrou em contato nesta terça-feira (12) com Luiz e José Arruda, irmãos de Marcelo Arruda, tesoureiro do PT assassinado em Foz do Iguaçu, no Paraná, no último sábado (9), pelo policial penal Jorge José da Rocha Guaranho, apoiador declarado de Bolsonaro.

Em uma chamada de vídeo, o presidente convidou os familiares da vítima a viajarem para Brasília. “A ideia é ter uma coletiva de imprensa para vocês falarem a verdade”, disse o presidente.

Na ligação, o presidente disse ainda que “se porventura tenha tido uma troca de palavras entre vocês, não justifica o cara voltar armado e fazer o que ele fez. No meu entender, nada justifica o que aconteceu. Nada justifica.” As informações são do site Valor Econômico.

Os irmãos de Marcelo, apoiadores de Jair Bolsonaro, criticaram um suposto uso político do assassinato pelo PT. “A gente sabe que o ambiente era todo petista. Apareceu lá a Gleisi Hoffmann, que eu tenho pavor, mas como meu irmão é petista eu não vou falar nada. O que nós não estamos admitindo é a esquerda ficar utilizando o meu irmão como palco de politicagem”, afirmou José Arruda, um dos irmãos.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, porém, o contato com Bolsonaro desagradou parte da família de Marcelo. A viúva dele, Pâmela Suellen Silva, ficou surpresa com o telefonema e ressaltou que nem Luiz, nem José estavam na festa de aniversário na qual o ataque ocorreu.

Também de acordo como a Folha, o filho do Marcelo, Leonardo de Arruda, de 26 anos, criticou as tentativas de responsabilizarem o pai pelo ataque, sem citar Bolsonaro, após o presidente afirmar em conversa com apoiadores que o assassinato foi uma “briga entre duas pessoas” e citar que Marcelo jogou pedras no carro do agressor antes dos tiros.

“O ódio não está em mim, na nossa família. A gente estava comemorando, não foi a gente que procurou isso. Não foi a gente que matou. A gente não odeia ninguém”, disse Leonardo.

Festa com tema do PT

Marcela estava reunido com familiares e amigos em uma festa com a temática do PT para festejar seus 50 anos. De acordo com testemunhas, o agressor gritou palavras de ordem pró-Bolsonaro antes de atirar. Uma câmera de segurança registrou a chegada do assassino de Marcelo com uma arma e toda a ação que terminou com o trágico desfecho.

Fonte: Valor Econômico, Folha de S. Paulo e Correio Braziliense

Balneário Arroio do Silva terá Clínica Escola: Parceria firmada com a UFSC beneficia a população Próximo

Balneário Arroio do Silva terá Clínica Escola: Parceria firmada com a UFSC beneficia a população

Câmara de Araranguá conclui primeiro semestre de atividades legislativas Anterior

Câmara de Araranguá conclui primeiro semestre de atividades legislativas

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.