• Domingo, 14 de Abril de 2024
  1. Home
  2. Política
  3. Veto de Bolsonaro ao PSD é bom para Jorginho

Política

Veto de Bolsonaro ao PSD é bom para Jorginho

O veto do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) ao PSD, caiu como uma luva para o governador Jorginho Mello (PL), que tem sofrido sistemática oposição do partido a sua gestão, desde os primeiros dias de governo. Ao dizer que não apoiará candidatos do PSD nas eleições municipais deste ano, Bolsonaro colocou o partido na vala comum, junto a outras legendas como o MDB e o PSDB, que fazem parte da base de apoio do presidente Lula da Silva (PT) no Congresso Nacional.

O governador Jorginho capitaliza com esta posição de Bolsonaro, pois nitidamente o PSD fará oposição ao seu projeto de reeleição em 2026. Capitaneados pelo deputado estadual Júlio Garcia, os pessedistas tentarão reaglutinar a tríplice aliança idealizada pelo ex-governador Luiz Henrique da Silveira (MDB), justamente para apresentar a sociedade catarinense um candidato alternativo à figura de Jorginho Mello na próxima eleição estadual. Neste sentido, o PSD espera contar com o apoio do MDB e do PSDB ao seu projeto.

Levando adiante seu intento em Santa Catarina, o PSD tem usado da velha tática de bater e esconder a mão. Ao mesmo tempo em que alfineta o governador e sua gestão em todas as frentes, também apresenta alguns de seus líderes como sendo bolsonaristas de carteirinha, como é o caso do prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD). Na prática, muitos líderes pessedistas se apresentam como bolsonaristas, mas não querem um governo, e tampouco um governador bolsonarista, o que não deixa de ser uma grande contradição.

Não à toa o veto do ex-presidente Bolsonaro veio em excelente hora. Se o PL e seus principais aliados se afastarem do PSD, fatalmente o partido deixará de eleger muitos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em nosso Estado, figuras estas que são a base de qualquer eleição estadual. Afora isto, cada vez mais o PL passará a se tornar, de fato, o partido oficial do bolsonarismo em Santa Catarina, movimento social este que abocanhou 70% dos votos dos eleitores catarinenses das duas últimas eleições estaduais.

Finais

Ex-prefeito de Passo de Torres, Jonas Souza (MDB), que também é Coordenador Regional do MDB aqui no Extremo Sul Catarinense, e assessor do deputado estadual Tiago Zilli (MDB), tem mantido contato com lideranças de seu partido em seu município, como também com lideranças de outras legendas, objetivando a construção de uma aliança com vistas às eleições municipais deste ano. O MDB passotorrense vinha discutindo internamente a possibilidade de nutrir esforços, ou pela candidatura do vereador Renan Baltazar, ou pela candidatura do vereador Emerson Cardoso, o Fom, ao executivo municipal, ambos filiados ao partido. O problema é que o MDB acabou se dividindo em dois grupos bem distintos, com cada um deles apoiando ou a candidatura de Renan, ou a de Émerson, o que tem desgostado as bases da legenda. Por conta disto, cada vez mais o nome de Jonas tem surgido como uma alternativa de conciliação emedebistas, com maiores chances, também, de que um projeto timonado por ele tenha maior adesão de outros partidos.

E enquanto em todos os demais municípios de nossa região lideranças de oposição têm se articulado, para formar um grupo objetivando a conquista do executivo municipal, em Araranguá a apatia, neste sentido, é generalizada. Por ora, o prefeito César Antônio Cesar (MDB) sequer sabe quem, supostamente, será seu adversário. O PL, bola da vez no jogo político catarinense, já se aproximou de César, com vistas a engrossar seu grupo de apoiadores. O Progressistas, principal rival do MDB em Araranguá, ainda não mostrou indicativos com vistas a 2024, algo totalmente fora dos padrões, se levando em conta que faltam pouco mais de seis meses para a realização das convenções municipais. Até mesmo o PT, que está na obrigação moral de lançar candidato a prefeito no maior município de nossa região, também não apresentou ainda seu pré-candidato. Toda esta configuração só está servindo para fortalecer cada vez mais a figura de César Cesar, que, por enquanto, navega em águas tranquilas rumo a seu projeto de reeleição.

UniSul promove 1º Feirão de Empregos em Criciúma com 300 oportunidades de trabalho Próximo

UniSul promove 1º Feirão de Empregos em Criciúma com 300 oportunidades de trabalho

Sindisaúde Criciúma e vale do Araranguá abre Assembleias da Campanha Salarial nesta terça-feira, 19 de fevereiro Anterior

Sindisaúde Criciúma e vale do Araranguá abre Assembleias da Campanha Salarial nesta terça-feira, 19 de fevereiro

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.