• Domingo, 29 de Março de 2020
  1. Home
  2. Uaaau Show
  3. Planos sequência: O que são e por que são tão amados?

Uaaau Show

Planos sequência: O que são e por que são tão amados?

Se você acompanhou a última temporada de premiações deve ter ouvido bastante o termo pano sequência por conta de 1917, filme que ficou tão conhecido justamente por fazer parecer que foi gravado em um único plano. Considerando toda essa atenção ao filme, algumas pessoas vieram me perguntar o que exatamente caracterizava um plano sequência, então vamos lá.

Partindo do princípio temos o conceito de fotograma, que seria a imagem impressa em filme e que quando colocada junto de outros fotogramas em determinada velocidade, passa a impressão de movimento. A menor parte de uma imagem em movimento é o que chamamos de plano, que nada mais é do que a imagem que está entre dois cortes. A existência de um plano é delimitada pelo tempo. Então, um conjunto de planos forma uma cena e um conjunto de cenas em uma mesma ação e espaço formam uma sequência. Quando esse conjunto de cenas acontece sem qualquer corte, tendo entre segundos ou minutos, nós temos um plano sequência.

  

Um diretor pode escolher trabalhar com um plano sequência por alguns motivos, eles podem diminuir o tempo de ação do filme, já que um número grande de cortes significa um número maior ainda de planos a serem gravados. A intensidade da cena também pode aumentar com um plano sequência, já que o público tem apenas uma visão do que está acontecendo e não sabe em que momento haverá um corte ou uma mudança de ações. Como esses planos podem ter desde alguns segundos até minutos ou a duração de um filme inteiro, o grau de dificuldade durante a gravação pode variar bastante, mas uma coisa é certa, um plano sequência sempre é bastante trabalhoso. 1917 se passa quase inteiramente a céu aberto, o que significa que a continuidade possui uma dificuldade a mais, o tempo. Por conta das mudanças de nuvens, a equipe gravou o filme com o tempo nublado, o que significava que se abrisse o sol durante o dia, eles não poderiam gravar. O longa acontece em cenários bem abertos de campos de guerra, o que também significa que a equipe não poderia trabalhar com muitos equipamentos de luz. As limitações eram muitas, e ainda assim, a fotografia do filme junto com a atuação dos atores é absolutamente perfeita. Para os atores a dificuldade também é enorme, tudo precisa ser metodicamente planejado e ensaiado inúmeras vezes antes de abrir a câmera para gravar um plano sequência. Os movimentos de câmera e de atores precisa ser sincronizado de forma perfeita e sempre considerando pequenas alterações, já que as chances de algo sair do controle são bem grandes, e de um ator se esquecer da fala e precisar improvisar também. É por conta de tudo isso que quanto mais longo o plano sequência, maior o tempo necessário para gravá-lo. A cena inicial do filme O Regresso (que rendeu o Oscar à Leonardo Di Caprio) é quase toda em plano sequência e levou um mês de ensaios justamente por não existir uma margem para erros, a cena precisaria acontecer exatamente como o planejado e por contar com uma quantidade um tanto grande de personagens e figurantes tornou a sua precisão ainda mais complicada. Em 2015 um filme alemão bateu 134 minutos ininterruptos de plano sequência, ou seja, o filme inteiro foi gravado sem qualquer corte ou falseio. Cada vez mais diretores tentam explorar o mundo de uma longa sequência de cenas sem cortes e cada vez mais, eles conseguem nos entregar resultados incríveis.

A obsessão por essa técnica sempre existiu, afinal, todo bom diretor adora um grande desafio técnico, e quando esse desafio ajuda a tornar a narrativa do filme ainda melhor, mais emocionante ou mais assustadora, o recurso é ainda mais querido e almejado. Eu vou deixar abaixo dois vídeos de planos sequências que gosto demais, um deles é da série Demolidor da Netflix e mostra uma cena de luta em um corredor com 3 minutos sem cortes e a outra é do filme Filhos da Esperança de Afonso Cuarón e mostra uma sequência de 4’07 minutos dentro de um carro que termina com uma perseguição, o melhor trabalho de Cuarón ao meu ver (que por sinal, fez uma sequência de 12 minutos sem cortes anos mais tarde em Gravidade).

Demolidor

Filhos da Esperança

 

Programa da Jo entrevista Ulisses Ricardo, Mestre de Bateria da Unidos do Arroio Anterior

Programa da Jo entrevista Ulisses Ricardo, Mestre de Bateria da Unidos do Arroio

Grupo Tahiti Viagens África do Sul Próximo

Grupo Tahiti Viagens África do Sul

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.