• Quarta-feira, 08 de Julho de 2020
  1. Home
  2. Imprensa livre
  3. Ao governador ficou a impressão de que Criciúma pode ter ‘chapão’

Imprensa livre

Ao governador ficou a impressão de que Criciúma pode ter ‘chapão’

No “rascunho” da Agronômica Criciúma teria quatro candidaturas

Na capital o grupo recém aliado ao governador Carlos Moisés passou o cenário de que é possível um “chapão” em Criciúma. Foi o que vigilantes do Palácio da Agronômica perceberam e repassaram a jornalistas e observadores da cena política. Nas entrelinhas do que esteve à mesa aparece uma aliança futura que tenha como candidato a prefeito Júlio Kaminski (PSL) com a professora Lisiane Tuon (DEM) candidata a vice-prefeita e que traga pelo menos outras duas siglas de alinhados a Carlos Moisés, o MDB e o PDT. Restariam as chapas de Júlia Zanatta (PL), que a maioria considera uma incógnita, a de Chico Baltazar (PT) contra a candidatura do prefeito Clésio Salvaro.

Estiveram com o governador Carlos Moisés os vereadores Júlio Kaminski (ainda no PSDB), Edson Luiz do Nascimento (ainda no PP), o suplente Álison Pires (ainda no PSDB) e o advogado Jeferson Monteiro, que figurou pré-candidato pelo MDB e depois pelo PL. Havia outras lideranças como o coordenador Ricardo Beloli, de Criciúma, o coordenador regional do PSL, Rangel Loch com o seu pai e o presidente da Câmara de Vereadores de Forquilhinha, Maciel Dassoler (ainda no MDB).

O encontro foi protocolar. As amarras já haviam sido feitas pelo deputado federal Fábio Schiochetti, presidente estadual do PSL, que é quem está fazendo as costuras de fato.

Inscrições abertas para a escolha da Corte da Festa do Colono e Motorista de Forquilhinha Próximo

Inscrições abertas para a escolha da Corte da Festa do Colono e Motorista de Forquilhinha

Qual é a sua história? Anterior

Qual é a sua história?

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.