• Sexta-feira, 01 de Julho de 2022
  1. Home
  2. Saúde
  3. Com alerta da OMS, Brasil ainda não tem protocolos para testagem de varíola do macaco

Saúde

Com alerta da OMS, Brasil ainda não tem protocolos para testagem de varíola do macaco

Casos confirmados da doença já passam de 200 em mais de 20 países e existem dezenas de suspeitas.

Os casos confirmados de varíola do macaco já passam de 200 em mais de 20 países e existem outras dezenas de suspeitas.

No Brasil, ainda não há protocolos definidos para testagem e isolamento dos casos suspeitos que possam surgir e nem insumos necessários por aqui para disponibilizar testes, se forem necessários. As informações são do R7.

A doença acendeu alerta na OMS (Organização Mundial da Saúde) porque nunca tinha aparecido nessa proporção fora da África, onde em muitos países é endêmica (constantemente registrada).

Quando aconteciam fora do continente, os casos se davam a partir do contato com animal silvestre após a viagem aos lugares onde a doença está presente ou com animal silvestre tirado da natureza e levado para o contato humano.

Surto

No surto que começou há um mês na Europa, a velocidade de transmissão é diferente e o surgimento de lugares distantes intriga os pesquisadores. Pensando nisso, o o Ministério da Saúde e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) criaram os grupos de trabalho para desenvolvimento de protocolos e procedimento para possível chegada da doença ao Brasil.

Formas de diagnóstico

Além da coleta através de swab (cotonete estéril) das lesões, ricas em materiais virais, a doença pode ser diagnosticada por exames de sangue feitos quando começam os sintomas, quando o vírus circula pela corrente sanguínea.

Orientações

Após a disponibilização dos insumos, a orientação para os profissionais de saúde deve estar entre as prioridades das autoridades de saúde.

O Ministério da Saúde encaminhou um comunicado a todos os estados orientando profissionais de saúde e informações disponíveis até o momento sobre a doença.

Por enquanto, apenas a Argentina investiga uma pessoa com suspeita da doença na América do Sul. Mas já existem registros de infectados na Europa, América do Norte, Oceania e Ásia. A OMS considera o pior surto do vírus fora da África.

Produção de vacinas pelo Instituto Butantan  – Foto: Marcelo Martins/PMB

Produção de vacina no Brasil

O Instituto Butantan, um dos principais produtores de vacina do Brasil, criou um grupo de trabalho para avaliar a disseminação do vírus da varíola do macaco no cenário mundial e uma possível confirmação de casos em território nacional.

O grupo está na fase de estudar a doença e avaliar as vacinas disponíveis no mercado, que são poucas e produzidas em pequena escala.

Caso seja necessário, o instituto se comprometeu a produzir uma nova vacina. Vale destacar que a OMS afirmou na última segunda-feira (23) que não vê a necessidade de imunização em massa da população.

Além de conferir proteção antes da exposição, o imunizante pode ser usado em pessoas já infectadas.

Fonte: R7

Perícia descarta abuso sexual em criança de São João do Sul Próximo

Perícia descarta abuso sexual em criança de São João do Sul

Arvoré dá laranjas gigantes em chácara de Jaguaruna Anterior

Arvoré dá laranjas gigantes em chácara de Jaguaruna

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.