• Sexta-feira, 01 de Julho de 2022
  1. Home
  2. Política
  3. PL estadual opta por Andressa Ribeiro como candidata

Política

PL estadual opta por Andressa Ribeiro como candidata

Depois de muita discussão interna, PL de nossa região optou pelo nome da advogada araranguaense Andressa Vitorino Ribeiro para disputar a Assembleia Legislativa pelo Extremo Sul Catarinense. Até quinta-feira, dia 9, tudo levava a crer que o indicado seria o policial penal Adércio Veter, também de Araranguá, que estava em franco trabalho para viabilizar sua pré-candidatura. O comando estadual do partido, no entanto, direcionou seus esforços para Andressa, que acabou sendo indicada. Por óbvio, a escolha não era o que Adércio esperava, por conta do trabalho que ele já vinha fazendo junto às bases do partido. No entanto, ele ressaltou que irá respeitar a escolha feita e se manterá fiel ao projeto do PL estadual e nacional. Adercio, todavia, emitiu nota pública, com algumas interrogações a respeito da escolha, como segue: “Eu vim para o PL 22 de Araranguá com o objetivo de ser candidato a deputado estadual pela legenda. Desde o início isso ficou muito claro e o meu nome sempre esteve à disposição. Todos sabiam. Havia uma angústia muito grande da parte de todos, pela falta de decisão sobre o nome do pré-candidato (a deputado estadual) do PL na Amesc. Por esse viés, foi importante a executiva estadual já ter escolhido a Andresa Ribeiro como pré-candidata.

Importante ainda destacar que, conforme foi divulgado pela imprensa na última sexta-feira, havia lideranças do PL trabalhando por uma candidatura de Tubarão para a região Sul. Eu até acredito mesmo que isto pudesse existir. Nesse sentido, pelo menos agora teremos representação 22 aqui da AMESC (à Assembleia Legislativa). Foi o que nosso grupo sempre defendeu. Entretanto, não acredito que a executiva estadual tenha feito uma análise comparativa da capacidade eleitoral ou representatividade política a nível estadual. Mas, é fato que existe a questão do cumprimento da Lei Eleitoral, relacionada à cota de gênero. E isso realmente é um grande problema para os partidos políticos.

Vale ressaltar que, por essa razão tive minha candidatura a vereador impugnada na eleição passada em Araranguá. Por essa razão, eu compreendo a decisão tomada, pois em não havendo o cumprimento legal, talvez outros candidatos com maior possibilidade de eleição pudessem ficar fora do processo eleitoral. A pessoa que me ligou da executiva estadual foi taxativa: ‘Quem decide por candidaturas a deputado estadual é a executiva estadual. A executiva municipal só decide por candidaturas a vereador’. Logo, a executiva estadual assim decidiu e como um bom soldado, vou seguir trabalhando para o Presidente Bolsonaro e às candidaturas que estejam alinhadas aos interesses do Brasil.

Penso que, se as lideranças do PL 22 se engajarem no projeto de eleição de um deputado estadual do partido na região da Amesc, isso com certeza poderá acontecer. Não podemos esmorecer. Nosso Presidente da República precisa de nós. Precisamos seguir lutando.

Santa Catarina é um Estado Bolsonarista, mas que está sendo atacado por pessoas que querem aproveitar para surfar nessa onda. Isso é perigoso e nós sabemos bem disso. Não podemos errar novamente. Vamos seguir firmes com o apoio aos que também têm demonstrado que estão com Jair Bolsonaro e a favor do Brasil: Jorge Seif para o Senado e Júlia Zanatta para Câmara Federal. Vamos seguir firmes e unidos pelo Brasil.

Precisamos nos manter unidos, pois só assim seguiremos fortes. A luta será grande. Temos muito a fazer. Desejo sucesso à nossa presidente do PL Araranguá, senhora. Andresa Ribeiro, (que foi) a escolhida pela executiva estadual como pré-candidata a deputada estadual, representando a região da Amesc”.

Amin insiste em candidatura própria do PP ao governo

Senador Esperidião Amin (PP) não está se fazendo de rogado. Diz que vai levar seu projeto de candidatura ao Governo do Estado até o fim. Ressalta a impossibilidade de seu partido apoiar o governador Carlos Moisés da Silva (Rep), que está totalmente amarrado ao MDB, e também não vê possibilidade de aliança com o União Brasil e o PSD, que já fecharam sua chapa majoritária. Uma aliança com o PL poderia ser uma opção, mas Amim diz estar preparado para uma disputa autoral. Em princípio, o Progressistas irá se reunir hoje para discutir seu destino no pleito eleitoral deste ano. O senador ressalta que quer ir para a convenção, que quer ser candidato ao governo.

Esquerda caminha a passos largos para divisão em SC

Esquerda catarinense caminha a passos cada vez mais largos para o lançamento de duas candidaturas ao governo: uma bancada por Décio Lima (PT) e outra bancada por Dário Berger (PSB). Interessante observar que pela primeira vez na história a esquerda tem reais chances de chegar ao segundo turno em Santa Catarina, desde que se mantenha unida. Com a previsão de pelo menos cinco candidaturas de expressão, é provável que um candidato que atinja pouco mais de 20% dos votos passe para a segunda etapa da eleição. A esquerda de nosso Estado tem potencial para isto, mas precisaria ficar agregada, algo que não deve acontecer.

Ermo: Ordem de Serviço é assinada para Construção do Centro de Convivência do Idoso Próximo

Ermo: Ordem de Serviço é assinada para Construção do Centro de Convivência do Idoso

Fumaça de churrasco gera confusão entre vizinhos e vira caso de polícia no Sul de SC Anterior

Fumaça de churrasco gera confusão entre vizinhos e vira caso de polícia no Sul de SC

Inscreva-se em nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.